Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Convergência’ Category

Descargar portada de Periodismo integrado: convergencia de medios y reorganización de redacciones. Libro por Ramón Salaverría y Samuel NegredoOs professores e pesquisadores espanhóis Ramón Salaverría e Samuel Negredo publicaram na última semana livro Periodismo Integrado, que faz análise da convergência das redações, fenômeno recorrente das grandes empresas jornalísticas que buscam compatibilizar as redações do jornal impresso e a redação do ciberjornal.

Salaverría e Negredo analisaram oito modelos de referência mundial de redação jornalística como Daily Telegraph, The Tampa Tribune, Schibsted, Estado de S.Paulo, The New York Times, The Guardian, Clarín e Financial Times. Segundo informações do Blog E-Periodistas, a partir desses casos os autores abordaram profundamente o como, o para que e o que da convergência na mídia e estabelecer propostas de critérios e procedimentos para reorganizar as empresas jornalísticas, com o  objetivo de se converter em organizações informativas do século 21. Salaverría, no Blog de apresentação do livro, destaca ainda que “o futuro dos meios de comunicação atuais acontece nas redações. De sua evolução depende o perfil do jornalismo e dos negócios da informação. E essa evolução se chama hoje de convergência jornalística, a oportunidade para reconverter a organização das empresas jornalísticas do século 20 em empresas informativas do século 21. O livro mostra as chaves do processo de convergência e descreve com precisão como algumas grandes mídias do mundo se empenham em obter êxito”.

O acesso para as referências do livro pode ser feito pelo endereço na internet www.periodismointegrado.com.

Powered by ScribeFire.

Read Full Post »


Artigo publicado por Juan Francisco Alonso – De la cultura al nuevo hipertexto – no jornal ABC Digital (ABCD), sugerido pelo Blog E-Periodistas de Ramón Salaverría, destaca os próximos passos, em andamento, da convergência entre a televisão e internet, que determinará o fim do modelo atual de TV e implicará, segundo o autor, numa nova forma de ver televisão, com a escolha do que assistir realizada pela audiência, que Juan Alonso chama de espectador-realizador.

O autor chama a atenção para a afirmação de Salaverría sobre as possibilidades de convergência entres essas duas mídias. No texto Alonso diz que “según Ramón Salaverría, profesor de la Universidad de Navarra, la velocidad de conexión y la modesta penetración de la banda ancha retrasaron el debate audiovisual. «En los últimos dos años, eso ha cambiado. Los archivos de imágenes pesan mucho menos con mayor calidad, y en España ya hay casi ocho millones de líneas de ADSL. En ese tiempo surgió el fenómeno YouTube, apenas una meta volante en la nueva ruta -continúa-. El final previsible es una televisión en el ordenador de una calidad análoga a la convencional, pero con al menos dos grandes diferencias: el dominio del espectador sobre el contenido y el uso de la hipertextualidad igual que en internet»”.

Num futuro muito próximo, até mesmo neste momento existente, as pessoas assistirão TV nas telas dos computadores, telefones celulares e outros dispositivos, mas não a programação que se conhece hoje, mas sim aquela escolhida pela audiência que poderá “navegar” na programação conforme seus objetivos e necessidades.

Confira o artigo completo em: http://www.abc.es/abcd/noticia.asp?id=8114&num=817&sec=39

Read Full Post »

Artigo publicado por Juan Francisco Alonso – De la cultura al nuevo hipertexto – no jornal ABC Digital (ABCD), sugerido pelo Blog E-Periodistas de Ramón Salaverría, destaca os próximos passos, em andamento, da convergência entre a televisão e internet, que determinará o fim do modelo atual de TV e implicará, segundo o autor, numa nova forma de ver televisão, com a escolha do que assistir realizada pela audiência, que Juan Alonso chama de espectador-realizador.

O autor chama a atenção para a afirmação de Salaverría sobre as possibilidades de convergência entres essas duas mídias. No texto Alonso diz que “según Ramón Salaverría, profesor de la Universidad de Navarra, la velocidad de conexión y la modesta penetración de la banda ancha retrasaron el debate audiovisual. «En los últimos dos años, eso ha cambiado. Los archivos de imágenes pesan mucho menos con mayor calidad, y en España ya hay casi ocho millones de líneas de ADSL. En ese tiempo surgió el fenómeno YouTube, apenas una meta volante en la nueva ruta -continúa-. El final previsible es una televisión en el ordenador de una calidad análoga a la convencional, pero con al menos dos grandes diferencias: el dominio del espectador sobre el contenido y el uso de la hipertextualidad igual que en internet»”.

Num futuro muito próximo, até mesmo neste momento existente, as pessoas assistirão TV nas telas dos computadores, telefones celulares e outros dispositivos, mas não a programação que se conhece hoje, mas sim aquela escolhida pela audiência que poderá “navegar” na programação conforme seus objetivos e necessidades.

Confira o artigo completo em: http://www.abc.es/abcd/noticia.asp?id=8114&num=817&sec=39

Read Full Post »